terça-feira, 6 de abril de 2010

Os Cronometristas da natação e a influencia nas medidas dos recordes


Foi somente em 1976 que a Federação Internacional de Natação (FINA) passou a homologar os recordes mundiais de natação. Decorridos deste então, trinta e quatro anos, foram batidos 25 recordes na prova masculina de 50m nado livre, diminuindo o tempo em quase 3 segundos. Embora este tempo pareça irrisório para desempenho de uma atividade humana, no mundo da natação este intervalo de tempo é bastante relevante! Especialmente, porque nesta prova rápida representa mais de 10% do tempo total para o atleta completar o percurso. Atualmente, o recorde mundial masculino dos 50m pertence ao único brasileiro a figurar neste quadro de elite - Cesar Cielo - com o tempo de 20s 91, conquistado em 18/12/2009.
Analisando os registros da FINA, o intervalo de tempo baixado de um recorde para outro é da ordem de centésimo de segundo ou com poucas exceções nos décimos de segundo. Como estes tempos são aferidos? Quais são os instrumentos utilizados para tamanha precisão? Em competições de grande importância é utilizado um equipamento automático que registra os dados até a ordem dos centésimos. São colocados sensores, touch pads, na parede da piscina correspondente ao final de cada raia. O atleta a cada virada ou no final da prova deve tocá-lo, para então, ser mostrado o tempo da prova do vencedor em um quadro digital localizado fora da piscina. Mesmo na presença de equipamentos automáticos tão precisos ou em piscinas sem este equipamento os cronometristas não são dispensados, validando as provas caso ocorra qualquer imprevisto tecnológico. Trabalham munidos de cronômetros digitais manuais, cujo tempo oficial registrado deve ser arredondado na ordem dos décimos de segundos.
Para arredondar um valor para casa dos décimos, deve-se usar um instrumento que marca até os centésimos, caso o número correspondente a esta ordem seja maior ou igual a cinco, a casa dos décimos deve ser acrescida de uma unidade, caso contrário deve-se reduzir. Vamos então analisar qual seria o valor do tempo do Cielo caso a prova fosse registrada manualmente: os 20s91 passaria a ser 20s9, o que na prática corresponderia a ele ainda estar 2,4cm distante da borda da piscina no final da prova que lhe rendeu o recorde mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário