segunda-feira, 18 de abril de 2011

A Física ensina ao Ronaldinho Gaúcho a não perder penalti




Após negociação milionária, o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho chegou ao Flamengo no início de 2011 sob grande expectativa da torcida rubro-negra. Desde então, ainda não foi vista uma grande atuação dele, mas torcedor que é torcedor sempre tem uma desculpa para justificar o baixo rendimento do seu ídolo. Entretanto, neste último domingo (17/04), ficou difícil para qualquer torcedor fanático justificar um pênalti perdido por ele aos 49 minutos do segundo tempo, quando daria a vitória para o Flamengo sobre o Macaé na fase semifinal da Taça Rio. Ronaldinho cobrou o pênalti como um iniciante, chutando a bola no meio do gol e para fora! Somente, seu técnico Vanderlei Luxemburgo, em entrevista ao 'Sportv', conseguiu afirmar que o jogador não deveria pedir desculpas a torcida pelo pênalti perdido, já que isto é uma situação normal de jogo!


Para ajudar o Flamengo, o técnico e o nosso super astro, não repetirem situação desastrosa como esta, recomendamos que eles tomem ciência do trabalho científico desenvolvido pelo físico Ronald Ranvaud, Prof. Dr. do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, onde ele aponta quais estratégias que os cobradores de falta devem adotar para convertê-las em gol. Seu estudo mostra que existem duas posições ótimas onde a bola deve incidir no momento da cobrança, que ficam próximas dos cantos superiores do plano frontal do gol. Entretanto, para converter o pênalti a favor do cobrador, é necessário que a bola atinja velocidade superior a 80km/h, de modo que a bola chegue a posição ótima antes do goleiro. Esta teoria foi testada experimentalmente por jogador e goleiro experientes, em cada dez tentativas nove foram concluídas com sucesso, ou seja, 90% de acerto! Logo, perder pênalti não deve ser visto como uma situação normal num jogo, como afirmou Luxemburgo.



Click no link abaixo, e assista o programa do Globo Esporte com o Prof. Ronald Ranvaud, em 2009, quando ele explicou em detalhes seu trabalho.


Um comentário:

  1. Podemos observar a segunda lei de Newton (princípio fundamental da dinâmica), a força resultante que atua sobre um corpo é proporcional ao produto da massa pela aceleração por ele adquirida. Com isso, se um jogador, no caso o Ronaldinho, aplicar uma força sobre a bola que seria a cobrança do pênalti, ela irá adquirir uma aceleração x. Caso o Ronaldinho duplique essa força, a aceleração da bola também será maior. Contudo, devesse considerar que a massa da bola também interfere na aceleração. Além disso, massa corporal do jogador também influencia nas jogadas já que os chutes de jogadores com maior massa corporal irá produzir uma aceleração maior na bola. Sendo assim, Ronaldinho deve levar esses fatos em consideração para atingir uma velocidade de 80 km/h e assim não perder mais pênaltis.

    ResponderExcluir